Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dia Um

por O Caminhante, em 24.09.13

A ideia apoderou-se de mim, como se me controlasse a mente. E acabei por ter de ceder.
Não o faço porque ache que alguém vai ver algo do que partilho. Faço pela minha sanidade mental.
Não é muita ultimamente, ou então sou eu a ser pessimista como todos gostam de me dizer.
A verdade é que de alguma forma aquilo que sinto, penso, experiencio, vivo tem de ser partilhado.
Esta é apenas mais uma forma como outra qualquer. Melhor do que o Facebook na minha opinião, porque aqui apenas alguém e não todo o Mundo vai ler sobre o que eu ando a fazer.

 

Mas a ideia partiu de um momento menos bom, não tem sido fácil agarrar-me às coisas boas nos últimos tempos, até porque as coisas boas têm tido tendência para escassear. Ontem então foi o dia Zero. O dia em que a partir dali não sei mais o que quero ou o que vai ser.

Hoje marca o dia Um. E é de facto um passo à frente em relação ao dia anterior.

 

Tudo começou porque concorri à Escola Superior de Teatro. Sim, é algo que sempre fez parte das minhas ideias tentar, mas só este ano, ao fim de 28 anos é que consegui arranjar a coragem e determinação para tentar. Passei a segunda fase, muito timidamente, tive 11 nessa fase. E fiz a segunda fase mais confiante, pelo menos tentei parecê-lo. Senti-me bem e achei por algum tempo que as coisas iam correr bem.

Com o passar dos dias, o optimismo foi-se esfumando. Não sou um pessoa optimista por natureza, tenho de o admitir, mas aqui, penso que o facto de não ter ninguém ao meu lado para puxar para cima não ajudou muito. Bem, há alguns amigos/colegas que sempre nos tentam animar, e não querendo menosprezar ou desprezar essa atitude da parte deles, mas há sempre aquela ou aquelas pessoas de quem queríamos mesmo sentir apoio e conforto.
Depois de sair a nota da segunda fase, fiquei desmoralizado e não pensei mais que fosse entrar. Estava a mentalizar-me que ia passar mais um ano até poder tentar novamente. Mas ontem quando saíram os resultados finais, por breves instantes em que me pareceu haver um erro na pauta, pensei que fosse possível. Mas em pouco tempo essa ilusão esfumou-se, desapareceu num ápice.

 

Doeu.

Muito.

 

Doeu de uma forma que nem consigo explicar ou transmitir. Acho que doeu de uma forma que ainda não saiu cá para fora. E sei que eventualmente essa mágoa e essa dor vai acabar por sair. Mas gostava de ter alguém por perto quando isso acontecer, porque sei que vou ficar de rastos.

 

Hoje é o dia Um. As coisas estão mais calmas. O meu coração já não pula tanto. E ideias parvas já não circulam tanto pela cabeça.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:00



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D